Jogando com o regulamento debaixo do braço, Max Verstappen não fez nada de errado em Spa perante a lei

Bancarei o advogado do diabo aqui. Para mim, Max Verstappen não merece todas essas críticas por ter fechado por Kimi Raikkonen.

Por um simples motivo: quem deveria julgá-lo o considerou inocente.

Max Verstappen é sacudo como todo campeão deve ser. Uma breve pesquisada e vemos nomes como Michael Schumacher, Alain Prost e Ayrton Senna fazendo o mesmo com sucesso.

Isso se chama jogo duro.

Por exemplo:

Flavio Briatore também achou Senna sujo. Tanto no momento acima como no momento abaixo. Por aqui, todo mundo achou lindo.

Os comissários não acharam nada.

Existe também o clássico duelo Schumacher x Barrichello na Hungria em 2010. Gerou críticas e mais críticas ao alemão por esses lados.

Nenhuma punição também na hora. E punir pra corrida seguinte não deixou Barrichello mais calmo.

E a clássica decisão em 1994 contra Hill?

Idem. Nada.

E um grande exemplo clássico. Suzuka, 1989.

No fim Prost foi o que? Inocentado. Que injustiça, povo brasileiro!

Para fechar, Portugal 1988. Senna mandou ver pra cima de Prost.

O resultado? Inocente. Exatamente. Acintosamente inocente.

Todas essas manobras acima geraram enorme polêmica, assim como a de Max com Raikkonen.

O que quero concluir disso tudo? Que não adianta nada crucificar o cara se as próprias autoridades do esporte a inocentam.

Sendo assim, ou deixem Verstappen em paz ou mandem ver nas punições, assim não sobram argumentos para se crucificar ou santificar alguém.