Um GP da Áustria louco? O de 1987, sem dúvidas

Essa edição inclusive foi a responsável pelo afastamento da pista do calendário da F1 por dez anos para sua modernização.

Até então, o hoje Red Bull Ring, que já foi A1 Ring e já foi Zeltweg, era chamado de Osterreichring e tinha seu traçado clássico com a longa reta final e a chicane na subida da ladeira.

Mas era precário e defasado que só ele. O traçado da época está em vermelho.

AUT Osterreichring 1988-1995

Por estar localizado nos Alpes Austríacos, a pista possuía muita vida selvagem ao redor. Isso levou à invasão de um veado nos treinos de sexta-feira, bichano devidamente atropelado e trucidado pela McLaren de Stefan Johansson.

Claro que o sueco não teve a mínima culpa. E teve muita sorte, pois o bichano foi fatiado pela asa e suspensão dianteiras do lado esquerdo, o que também não evitou que pequenas partes atingissem sua cabeça. Sem controle, o carro ainda bateu no guard rail e ricocheteou.

O piloto foi até levado de helicóptero para o hospital no fim do dia com dores de cabeça e pescoço para fazer exames de raio-X, mas não foi detectado nada de grave. A batida, de acordo com apurações de época, aconteceu a 230 km/h.

Veja a sequência abaixo e clique para ampliar:

“Se o carro estivesse 20 centímetros para o lado, o veado teria acertado e arrancado minha cabeça, com certeza. Todo o episódio ainda me deixa borrado só de lembrar. Você passa por um ponto cego e mira o carro na cabine dos fiscais do lado de fora da curva para pegar a melhor linha visando a curva seguinte. E quando o carro atingiu o limite da inclinação, ficando mais leve, vi o veado começando a sentar no meio da pista.

Não tive tempo para fazer nada, muito menos frear. Ele acertou do lado esquerdo e não consigo esquecer do som do impacto, horrível. Foi muito forte. Ele arrebentou toda a esquerda do carro e os pontos de fixação da suspensão foram arrancados do monocoque.

Lembro de ter encolhido as pernas, cruzado os braços e rezado. Foi uma pancada monstra e quebrei algumas costelas. Eu corri no domingo, mas estava com tanta dor que não foi prazeroso. Lembro que o Ayrton Senna estava atrás de mim e recebeu um pouco do que sobrou do veado. Não acho que ele gostou muito!”

Sem título

Já a corrida em si teve ainda mais carnificina: primeiro, Martin Brundle fez um strike em diversos outros carros; na relargada, Nigel Mansell e Gerhard Berger largaram lentos demais e foram acertados pelo resto do grid.

Ou seja, foram três largada e mais de 10 carros foram perdidos nas duas anteriores- tudo isso antes de dez voltas. Confira as três largadas no link abaixo:

Se você acha que acabou com a bandeirada está redondamente enganado: Mansell venceu e, no caminho ao pódio em cima de uma van, acertou uma ponte com a testa, ganhando um galo mais brilhante que seu troféu.

Esse vídeo você pode ver na reportagem exibida na época pela TV Globo: