Os cinco melhores pilotos belgas antes de Stoffel Vandoorne

79p0734_1

Como todos já sabem, e se você ainda não sabe eu conto: Fernando Alonso foi proibido de correr no GP do Bahrein e o piloto de testes Stoffel Vandoorne (acima) assumirá seu cockpit na McLaren.

Como a lista recente de belgas não ajudou muito (vide Philippe Adams e Jérome D’Ambrosio), decidimos rememorar a história do país nas pistas, o que rende muitas histórias. Selecionamos os cinco melhores belgas que já passaram pela F1 e descobrimos histórias incríveis, até de suicídio (que não é nada bacana).

Vamos a eles:

ickx.jpg

Jacky Ickx
114 GPs, 8 vitórias, 13 poles, 13 melhores voltas, 25 pódios, 25 primeiras filas, 181 pontos

Este ex-piloto de 71 anos foi certamente o maior nome que a Bélgica já viu nas pistas, tendo sido duas vezes vice-campeão em 1969 e 1970. Certamente é um dos grandes nomes de todos os tempos a não ter conquistado um título. Porém, para compensar, ele se esbaldou nas 24 Horas de Le Mans, com cinco vitórias.

boutsen.jpg

Thierry Boutsen
163 GPs, 3 vitórias, 1 pole, 1 melhor volta, 15 pódios, 1 primeira fila, 132 pontos

Uma pena que para muitos ele é conhecido como “um dos poucos amigos de Ayrton Senna”, ao invés de sua carreira nas pistas. Ele podia ser muito bem-sucedido, não fosse um grande pecado em sua carreira: perder a vaga na Williams ao fim de 1990 para Nigel Mansell. Daí pra frente, sofreu com a Ligier e se despediu de forma amarga com a Jordan em 1993.

olivier.jpg

Olivier Gendebien
13 GPs, 2 pódios, 1 primeira fila

Já falecido em 1998 aos 74 anos, Gendenbien teve uma belíssima carreira na época em que você nem sabia se sairia vivo de uma corrida. A maioria de suas participações na F1 foram pela Ferrari, mas foi pela Yeoman Credit Racing Team que ele somou dois pódios em 1960 e terminou o ano em sexto. Com a Ferrari, ele ganhou em Le Mans três vezes

mairesse.jpg

Willy Mairesse
12 GPs, 1 pódio, 2 primeiras filas

Este piloto teve destaque, como Gendenbien, na temporada de 1960, disputando três corridas pela Ferrari e somando um pódio. Também fez provas pela Lotus. Mas, assim como a maioria dos pilotos belgas, ele sofreu uma forte atração e tendência para corridas de Le Mans, onde sofreu um acidente, foi considerado incapaz de pilotar novamente e se suicidou no ano de 1969 dentro de um hotel após ingerir um coquetel de comprimidos, tamanha a depressão que sentiu.

bianchi.jpg

Lucien Bianchi
17 GPs, 1 pódio
Sim, ele mesmo, o tio-avô de Jules Bianchi. Ele que foi campeão de Le Mans em 1968, no mesmo ano em que conquistou seu pódio na F1 pela Cooper. Além disso, chegou a disputar provas por equipes nacionais belgas antes de perder a vida no auge da carreira em Le Mans, no ano de 1969 (que aninho para o automobilismo belga). E quis o destino que a família Bianchi ficasse amarrada a essas tragédias no esporte.