Os acidentes de pit stops mais imbecis já vistos na F1

Seria muito fácil ficar escolhendo episódios envolvendo pit stops e afins. Por isso nos concentramos em falhas incomuns, geralmente provocadas pelos pilotos.

Temos de tudo: erros básicos e outros inaceitáveis, mas temos dois que jogaram esterco no ventilador de tão inconsequentes.

Nigel Mansell – GP de Portugal de 1989
A regra é clara: não se pode usar marcha a ré dentro dos boxes por questão de segurança. Mas o inglês da Ferrari errou o ponto de freada e passou da garagem de sua equipe. Sem pensar duas vezes, ele meteu a ré e voltou. Obviamente foi desclassificado, mas só parou ao acertar o líder da prova Ayrton Senna. Manobra que foi decisiva para o título daquele ano. Veja acima o pit stop e o acidente, narrados por Galvão Bueno.

Thierry Boutsen – GP do Brasil de 1990
A prova em Interlagos era novidade, disputada pela primeira vez desde 1980. Em seu segundo ano pela Williams, o piloto belga acabou se confundindo na hora do pit stop, quase acertou os mecânicos, deu em um pneu e danificou o bico do carro.

Gerhard Berger – GP de Portugal de 1993
Berger é espetacular. Poderia receber o prêmio de desastrado da F1, tamanha suas *agadas. Esta, no Estoril, foi o supra sumo daquele ano – e olha que ele havia batizado uma curva com seu nome em Interlagos e foi tirado da pista pelo companheiro Jean Alesi durante uma volta lançada em Monza! Mas, nesta aqui, ele realmente se superou – e quase matou Derek Warwick.

David Coulthard – GP da Austrália de 1995
A fita de Coulthard já estava ruim naquela época: uma rodada na volta de apresentação do GP da Itália praticamente anulou suas chances no time no ano seguinte – com o escocês acertando com a McLaren para o ano seguinte. Mas ele conseguiu piorar a emenda quando liderava a última prova da temporada e foi para seu primeiro pit stop. Veja com seus próprios olhos.

Kazuki Nakajima – GP do Brasil de 2007
Era a primeira corrida do coitado do japonês. Ele precisava mostrar que não era desastrado que nem o pai, Satoru, mas não deu muito certo. Logo no primeiro pit stop de sua carreira, ele fez um strike nos mecânicos.

Jerome D’Ambrosio – Gp da Hungria de 2011
Esse animal rodou em pleno pitlane. Não é preciso dizer muito.

Ainda bem que não é um ranking, pois seria muito complicado escolher um campeão.