Metanol e seu fogo invisível: relembre os casos mais impressionantes

Ele se foi e pouca gente sentiu saudade. Mas os apaixonados pela Fórmula Indy e suas variações (Champ Car e IRL) lembram muito bem que o combustível utilizado em seus carros era o metanol – o assunto do post de hoje.

Também conhecido como álcool metílico, o metanol é um composto químico com fórmula química CH3OH. Líquido, inflamável, possui chama invisível, fundindo-se a cerca de -98 °C.

O importante da definição acima, retirada da Wikipedia, é a parte que diz: possui chama invisível. Este é o maior drama que a Indy viveu durante a maior parte de sua história – uma vez que o campeonato usa etanol desde 2009.

Quem já presenciou um incêndio de metanol sabe do que estamos falando: pessoas correndo feito loucas de um lado pro outro, jogando água e disparando extintores para o nada. Era desesperador ver um piloto ou um mecânico pedindo socorro e rolando no chão enquanto em seus uniformes antichama brotavam manchas claras – era o fogo consumindo o tecido.

Nós resolvemos reunir alguns dos incidentes mais importantes envolvendo esse tipo de acontecimento. Nossa curiosidade nos fez cavar mais fundo e encontramos oito cenários, alguns assustadores, outros nem tanto, e listamos em ordem cronológica.

Rick Mears – Indy 500 1981
Este foi o primeiro incêndio registrado na categoria. E um dos mais impressionantes, pois o próprio piloto foi atrás de um extintor para apagar o fogo em seu fogo, além de um mecânico sem balaclava que gritava pela volta dos bombeiros, pois as chamas invisíveis em seu corpo não havia sido totalmente apagadas.

Herm Johnson – Michigan 500 1981
Este foi o mais impressionante de todos desta lista. Um pandemônio. O fogo se alastrou pelos boxes e explosões foram ouvidas. Por sorte, todos foram evacuados a tempo e poucos mecânicos ficaram feridos.

Adrian Fernandez – Michigan 1994
As imagens mostram o trabalho dos bombeiros, mas um membro da equipe de Fernandez afirmou que o time provavelmente cometeu um erro ao desconectar a mangueira muito cedo.

Robby Gordon – Indy 500 1997
Este foi desesperador pelo fato de Gordon ter rolado por muito tempo na grama sem ninguém chegar para auxiliar. É possível notar a perna de seu macacão mudando de cor por conta do fogo.

Robby Unser – Atlanta 1998
Da lista, este é o menos impactante. Vale pelo registro.

Tony Kanaan – Mexico 2002
O brasileiro acabou sendo liberado quando seu carro ainda era abastecido, o que fez com que metanol fosse espalhado para todos os lados, molhando os mecânicos e provocando o caos.

Sam Hornish Jr. – Nazareth 2004
Este foi um grande incêndio, em situação igual à enfrentada por Tony Kanaan no vídeo anterior.

AJ Allmendinger – Australia 2006
Ao contrário de Kanaan e Hornish, Allmendinger simplesmente levou o bocal da mangueira de combustível com ele, imolando os mecânicos da Forsythe.